Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Bico de Gás



Quinta-feira, 30.12.04

Quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras

Li atentamente a crónica de Vasco Graça Moura ao DN. Não sendo, de todo fã do PS, acho que o referido eurodeputado do Social Democrata faz mal em referir-se ao PS sem olhar para dentro do seu próprio partido.
Começa logo no primeiro parágrafo:

“[...]O PS anda numa roda viva e desmultiplica-se em iniciativas, comícios, jantares, cerimoniais, declarações, artigos de imprensa, promessas à queima-roupa, disparadas em todas as direcções[...]”

A roda viva do PS é de perto seguida peça azáfama do PSD, com os jantares na FIL, onde até funcionários da Câmara de Lisboa são convocados a aparecer para que o número de convivas se equipare ao número de Socialistas presentes no festim respectivo.
Já agora quando refere:

“[...]Mas o PS não tem nada de novo nem de construtivo a propor[...]”

O PSD tem algo de novo? É bom que tenha porque as novidades dos últimos meses não podem continuar em 2005, caso o PSD seja reeleito. Mas parece que o povo Português também não acredita nas novidades PSD.
Continuando a ler a sua eloquente opinião:

“[O PS] Criou o caos e propõe-se preparar alegremente o regresso ao caos. Aplicou o laxismo e não deseja a consolidação orçamental. Estimulou o consumismo e o endividamento desenfreados e volta a acenar aos portugueses com essas aliciantes perspectivas”

O laxismo evidente de Santana Lopes criou a ordem que se vê, também conseguiu a consolidação orçamental que Portugal menos precisa (a das receitas extraordinárias), não foi por isso melhor que os Governos PS. Apelou ao mesmo tempo que a retoma estava aí e isto também é um incentivo ao consumismo, despesismo e endividamento, com a agravante de tudo isto ser feito sabendo o Governo de PSL que retoma nem vê-la.
E sei que concorda comigo porque logo a seguir diz:

“[...]a economia tarda em arrancar, o desemprego tarda em diminuir, a contenção do défice continua a ser problemática, a política anda numa grande e agravada confusão, o País está pouco ou nada motivado, a idade de ouro das ajudas europeias já lá vai[...]”

Num pais onde quem assume lugares de destaque são pessoas sem qualificação, sem responsabilidade, sem criatividade, sem empenhamento, sem qualquer tipo de imaginação, culpar os funcionários públicos admitidos durante o Governo PS pelo marasmo, pelos “corporativismos estanques, conservadores e sobretudo refractários a reformas” é culpar a arraia miúda do reino pelas asneiras reais.

O PSD, no Governo desde 2001, não conseguiu, nem tentou, diminuir o número de funcionários admitidos, nem para fazer decrescer a evasão fiscal, nem diminuir a dependência das empresas privadas do aparelho estatal. Mas de certeza que vai propor/prometer subsídios se isso lhe trouxer benefícios, é a lei da campanha eleitoral.

E o povo não percebe “A atracção do abismo “ que muitos políticos, não só José Sócrates, demonstram admiração. Acabo só comparando o PS ao PSD num estribilho popular: “São duas faces da mesma moeda.”
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:12

Quarta-feira, 29.12.04

Luisito

Vá lá, não mintas Luisito, que pecados dessa lista fizeste tu? Olha que o Pai Natal não gosta de meninos mal-comportados e para o ano não te traz nenhum lugar para a administração da Lusa ou para presidente executivo da Lusomundo Media

Não comas as passas com os pecados nacionais que ainda te engasgas, como o teu “amigo americano”.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:42

Quarta-feira, 29.12.04

Balanços

Como sempre nesta altura há mais um ano se aproxima pela pista de lançamento de Dezembro. E como sempre, a cada fim de ano somos obrigados a relembrar tudo o que se passou nos últimos 12 meses.

Este ano teve pouca coisa que o recomendasse pelo que vai ficar (desempregado) na história talvez pelo número elevado de acontecimentos negativos. Mas também houve pontos positivos, se formos optimistas até podemos ver coisas positivas nos acontecimentos negativos (perceberam?) . Temos é de ter esperança no futuro e aguardar que 2005 seja melhor que 2004.

Mas como eu sou pessimista, gosto de me precaver sobre o que aí vem, preparo-me já para o pior: “O PPM vai eleger o presidente do partido, Miguel Pignatelli Queiroz e o vice-presidente Nuno da Câmara Pereira”.

2005 promete!
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 17:14

Terça-feira, 28.12.04

Portugal dos Pequeninos

Em "Portugal dos Pequeninos"

"O primeiro cuidado é dizer que não há portugueses entre as vítimas ou que, em alternativa, não chegam a meia dúzia."

Este post serve para pensar!
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:25

Terça-feira, 28.12.04

Hum? Pensões? CGD?

Mas este…este não é aquele que, que...hum...reforma milionária...ah pensões... Caixa Geral de Depósitos!?.. Hum ?

Ó Senhor (Ex) Ministro Bagão Félix, olhe que este ex-administrador da CGD, com aquela reforma, tem muito patriotismo para dar!
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:10

Segunda-feira, 27.12.04

Em Branco

Ao ler vários blogs falando do sítio da Internet “Novas Fronteiras” (que estará, julgo logicamente, a cargo do PS), não resisti e fui ver como corria a procissão fronteiriça Socialista.

Fiquei boquiaberto tal a quantidade de discussões ideológicas, projectos para Portugal em debate, ideias válidas apresentadas e outros assuntos tão prometedoramente debatidos em tal site. Podemos estar tranquilos quanto ao Futuro do País [OU NÃO!].

Ah! Isto leva-me a sugerir a releitura do post de Domingo, Dezembro 12, 2004 de O Bico de Gás.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:07

Segunda-feira, 27.12.04

Eternidades


Podemos considerar que cada ser humano passa por duas eternidades divididas pela vida: a primeira não tem início e é interrompida com o nascimento, a segunda não tem fim e começa com a morte.

Da primeira não tenho memória e mesmo assim se ponderar nela, espanto-me. A segunda, talvez pela consciência que tenho da sua inevitabilidade, intimido-me .
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 03:30

Sexta-feira, 24.12.04

Sacrifícios

É o que todos temos vindo a fazer desde o reinado de Manuela Ferreira Leite. Não tivemos alternativa. Foi uma exigência mascarada de pedido e chapelada com o “tenham paciência, é só por um breve período de tempo”.

Sabemos agora que nos iludiram, ou melhor, já desconfiávamos há muito que nos mentiam, mas hoje chegou a confirmação. Foram dois anos e meio de penitência que ainda vão continuar, porque os problemas de Portugal vão persistir. Sem luz ao fundo do túnel.

Patrioticamente resistimos ao estrangular do cinto, que já quase nos sufoca... Não nos venham, agora, falar e exigir sentido de estado quando pedimos que nos apresentem os resultados desses sacrifícios!

É fácil acenar com a bandeira do patriotismo quando os sacrifícios patrióticos são feitos pelos outros. E se esses outros não quiserem fazer mais sacrifícios? São anti-patrióticos?

Uma boa prova de patriotismo, senhor (Ex) Ministro Bagão Félix, é a competência posta ao serviço do país, coisa que não temos visto por aí.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 02:19

Quinta-feira, 23.12.04

Política Surrealista

Terça-feira, conferência de imprensa para declarar que vai haver uma conferência de imprensa na quinta-feira, para explicar como se paga o défice.

Quinta-feira, início da tarde, conferência de imprensa, após o Conselho de Ministros, “ai que o assunto sobre o défice não é agora, é só mais logo”.

Quinta-feira, 17h, “o que falta para equilibrar o défice vai ser pago, de novo, com as pensões dos trabalhadores da CGD”.

Engraçado que um Governo que manteve, desde o início, uma reputação de saber usar a imagem e a Comunicação Social, acabe o ano, e a Legislatura, com uma série de conferências de Imprensa surrealistas. Se fossem quadros fariam Salvador Dali corar!

Já em termos de suspense, deixam muito a desejar, não havia coelho nem cartola, o final era o que já todos esperávamos. Alfred Hitchcock ainda é o mestre.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:23

Quarta-feira, 22.12.04

Economias caseiras

Pela conferência de imprensa de ontem sobre o problema do défice, apercebemo-nos que PSL sempre percebe de Economia, desde que o relatório das contas contenha as seguintes frases:

“Consumo mínimo obrigatório: €10” e/ou “Em caso de extravio deste cartão: €75”

Ah! É verdade! A união Europeia não aceitará “acções” do Sport Lisboa e Benfica como pagamento? O Estado tem várias....
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:54

Terça-feira, 21.12.04

O GUNA – Ensaio (pouco) Científico

O GUNA é uma nova espécie que aparece no final do século XX e que por ora tem vindo a tomar conta da juventude Portuguesa. O GUNA aparece de uma mutação do estilo MACHO LATINO mas apresenta características dos anos ‘90 (o estilo Limp Bizkit é marcado pelo uso do boné, por exemplo).

O GUNA caracteriza-se pela sua aparência sui generis. O verdadeiro GUNA não dispensa a T-shirt e a calça de ganga justa, com manchas de lavagem e dobra para fora na zona da bainha, esta dobra destina-se à apresentação das enormes sapatilhas utilizadas, evidentemente, sem meias. O uso de todo e qualquer tipo de elemento decorativo é obrigatório pelo que o(s) brinco(s) na(s) orelha(s) e a(s) corrente(s) ao pescoço são muito apreciados por esta espécie, sendo a cruz de Cristo um dos elementos mais vistos nestes indivíduos. Uma das poucas características que muda de indivíduo para indivíduo é a forma do cabelo (já a cor é sempre igual – é uma cor indefinida pelo uso excessivo de gel), a forma varia desde o cabelo comprido com rabo-de-cavalo ao rapado com uma pala amarela oxigenada na dianteira da cabeça passando por uma misturas destas duas características – comprido com rabo-de-cavalo mas rapado por cima das orelhas e na nuca.

Chegados a este ponto passamos ao mais marcante dos paradoxos do GUNA - o uso simultâneo, seja Inverno ou Verão, do boné e do blusão de penas (com ou sem mangas). O boné é utilizado por várias outras espécies (inclusive a humana) para proteger os olhos e rosto dos raios solares nocivos a que podem estar sujeitos durante o Verão. O blusão de penas também é utilizado por outras espécies desta feita no Inverno por ser óptimo para manter a temperatura corporal e ser impermeável à chuva. De notar que o uso do boné em Fevereiro/Março, apesar do sol que aparece por esta altura, não se justifica. Da mesma forma para as chuvas de Verão basta uma gabardina fina não sendo necessária a utilização do blusão de penas. O que leva o GUNA a usar estas duas peças de vestuário em simultâneo ainda é um mistério para a comunidade científica, mas eu desenvolvi recentemente a teoria que defende que o boné serve para a protecção da pala oxigenada, sendo assim também justificado o uso do boné em que a pala não assenta na testa ficando levantada logo por cima da pala capilar. Na mesma teoria defendo que o uso do blusão de penas serve para manter o odor natural a suor característico do GUNA.

Estas são as características que vos permite distinguir o GUNA, agora passemos ao objectivo deste relatório - as medidas concretas:

Como sabeis de quando em vez o aumento da população das focas dá ao governo canadiano a justificação para abrir uma época de caça à foca (caça essa que é feita à paulada) para repor a população das focas nos limites aceitáveis para o governo do Canadá. Do mesmo modo e tendo em conta o número crescente da população GUNA, defendo o abate desta espécie dum modo em tudo idêntico ao da caça à foca (à pancada) para mantermos os números da espécie dentro dos limites aceitáveis - 0,0%.

Podem achar esta medida deveras drástica, mas acreditem que, como vocês, eu também acho que a foca deveria ser mais protegida...
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:58

Segunda-feira, 20.12.04

Pushit

I will choke until I swallow... Choke this infant here before me. What is this but my reflection? Who am I to judge and strike you down? But you're pushing and shoving me. You still love me and you pushit on me. Rest your trigger on my finger, bang my head upon the fault line. Take care not to make me enter. 'cause if I do we both may disappear. But you're pushing me, shoving me. Pushit on me. Slipping back into the gap again. I'm alive when you're touching me, alive when you're shoving me down. But i'd trade it all for just a little bit of piece of mind. Put me somewhere I don't wanna be. Seeing someplace I don't wanna see. Never wanna see that place again. Saw that gap again today as you were begging me to stay. Managed to push myself away, and you, as well. If, when I say I may fade like a sigh if I stay, you minimize my movement anyway, I must persuade you another way. There's no love in fear. Staring down the hole again. Hands upon my back again. Survival is my only friend. Terrified of what may come. Just remember I will always love you, even as I tear your fucking throat away. But it will end no other way.

Música: PUSHIT
Álbum: Aenima
Por: TOOL
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:22

Segunda-feira, 20.12.04

A Vaquinha


E agora que a União Europeia não nos deixa vender os dedos, para conseguir receitas extraordinárias? Vamos fazer uma vaquinha?
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 20:06

Domingo, 19.12.04

Heranças a contas

Vai entrar em vigor, dia 1 Janeiro, a nova lei de financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais. O diploma obriga os partidos a um controlo de despesas durante o período das campanhas eleitorais, sendo o Tribunal Constitucional a única entidade que controla estes gastos.

Óptimo! É desta que vamos ficar a conhecer a tia rica do Bloco de Esquerda!
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:28

Domingo, 19.12.04

Agente Laranja

O Agente Laranja envenenou Portugal por 5 meses também...
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:23

Pág. 1/3



Creative Commons License


Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Dezembro 2004

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031