Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Bico de Gás



Quarta-feira, 30.09.09

Quando lhes tiram a chucha

«O voto nas legislativas revelou-se acomodatício e complacente com o status quo. Talvez por se tratar, na sua grande maioria, de um voto de dependentes directos ou indirectos do Estado, da expressão de criaturas invertebradas que não querem nenhuma espécie de mudança da vidinha que levam e que se estão marimbando para o futuro e para as hipotecas que as hostes socialistas têm vindo a agendar ao longo do tempo. O que essa malta quer é o rendimento mínimo, o subsídio por tudo e por nada, a lei do menor esforço.»

Vasco Graça Moura, um dos iluminados pela Verdade, insulta a carneirada eleitora. O que VGM se esquece é que vivemos em Democracia, não lhe cabe a ele escolher o vencedor. Mesmo que o povão, esse conjunto de abéculas, tivesse optado pela autodestruição, a escolha seria democrática e soberana. Azar.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:17

Quarta-feira, 30.09.09

Geriatria

«Sobre as futuras relações entre São Bento e a Presidência da República, a eurodeputada socialista declarou que "todos teremos de ter muita paciência".»

Ana Gomes trata o Presidente da República como um idoso com laivos de senilidade.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 14:47

Quarta-feira, 30.09.09

Era suposto ser um esclarecimento, um ponto final.

Se as afirmações e/ou os silêncios anteriores de Cavaco permitiam uma especulação que até fosse de encontro às posições do PR, após o descalabro de ontem, todas as reacções evoluíram para uma única conclusão. Se Cavaco Silva procurava acabar com as suspeitas existentes então ontem todos ficaram sem dúvidas: Cavaco não tem perfil para PR.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:30

Quarta-feira, 30.09.09

Nem 29%

«Depois desta comunicação, assente em inverdades, opiniões meramente especulativas, afirmações de ignorância no domínio da informática e d insinuações conclui-se que Portugal já não tem um presidente de todos os portugueses, tem um presidente de 29% dos eleitores.» - no Jumento.

Duvido muito que Cavaco Silva ainda seja mesmo Presidente desses 29%. No PSD muitos guardam rancor pelo PR só ter vindo a público no pós-legislativas. Cavaco tem o terreno minado dentro do partido onde iria procurar apoio para um segundo mandato.

Nesta altura já não é o garante do normal funcionamento das instituições, é o promotor da instabilidade quando ainda terá que indigitar um PM em quem não confia. Não vejo grandes alternativas para este PR...
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:16

Terça-feira, 29.09.09

Cavaco over and out

As declarações de Cavaco em vez de esclarecerem lançaram gasolina para a fogueira. Cada vez são maiores as interrogações.

O PR suspeita que o partido do Governo manipula a opinião pública e o tenta trazer para a luta politico-partidária, colando-o ao maior partido da oposição, mas permite que tal suspeita se avolume para além das eleições legislativas. Tal desconfiança, devido à sua gravidade, era mais do que suficiente para uma declaração instantânea e um esclarecimento à população.

Sobre a divulgação do e-mail entre os jornalistas do Público, o PR refere que tem "sérias dúvidas quanto à veracidade das afirmações nele contidas". Não pode ter dúvidas. O seu assessor tem que ter a sua confiança. Logo, Cavaco Silva tem que ter a certeza das movimentações de Fernando Lima.

Mais, o PR, após essa divulgação pelo DN, interessa-se pela segurança dos seus próprios recursos informáticos. "[S]erá possível alguém do exterior entrar no meu computador e conhecer os meus e-mails? Estará a informação confidencial contida nos computadores da Presidência da República suficientemente protegida?”. Isto não é mais do que aumentar as suspeições, em vez de esclarecer.

A cooperação institucional tornou-se confrontação institucional. Não é uma guerra deste género que Portugal necessita.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 20:23

Terça-feira, 29.09.09

A natureza de Louçã

«Com os resultados do Bloco de Esquerda, se Francisco Louçã fosse um político responsável nunca o poderíamos ouvir falar em “vitória” ontem. O objectivo de um partido de esquerda responsável seria, retirando a maioria absoluta ao PS, ter mandatos suficientes para conseguir uma maioria em conjunto com este partido. (Para uma coligação ou para um simples acordo parlamentar, depois se veria.) Mas não assim. Excluído que parece estar um acordo com a CDU (a menos que se queira Portugal fora da NATO e da União Europeia), uma maioria de esquerda só me parece possível para propostas “fracturantes” ou em casos pontuais como um imposto sobre as grandes fortunas. A esquerda responsável, por isso, falhou. Mas nada disso parecia importar a Francisco Louçã, que estava mais preocupado com o seu partido do que com a governação do país. Sempre ouvimos falar da “arrogância” de José Sócrates. Após o que ouvimos ontem, será mesmo Sócrates o “arrogante”? A primeira coisa que o líder do Bloco de Esquerda fez, na noite de ontem, foi “exigir” a substituição de Maria de Lurdes Rodrigues sem propor nenhuma contrapartida. Ao ouvi-lo, apeteceu-me que Sócrates descesse ao átrio do Hotel Altis acompanhado da ainda ministra da Educação, anunciando que a manteria no seu cargo se fosse designado primeiro ministro. A verdadeira natureza de Francisco Louçã, escorpião pronto a picar a rã que o poderia ajudar a atravessar o rio, revelou-se aqui. Quem pudesse ter pensado na viabilidade de uma coligação do PS com um partido liderado por este indivíduo terá encontrado aqui a resposta. Enquanto o Bloco não decidir se é um partido de poder ou de protesto, tal não será possível. Mas, para o Bloco ser um partido de poder, terá que ser com outro líder. Neste momento, Francisco Louçã é o maior problema da esquerda portuguesa.» - Filipe Moura, no Esquerda Republicana.

Não podia concordar mais.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:47

Sexta-feira, 25.09.09

Semelhanças




ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:40

Quarta-feira, 23.09.09

Nordmende Norma Luxus 59


ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:00

Terça-feira, 22.09.09

It's On


ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 17:23

Terça-feira, 22.09.09

Isto é política

E nem sequer é da mais baixa. Quem tem estômago engole, quem não tem vomita. Impropérios, como já é costume.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:16

Terça-feira, 22.09.09

"Momento Difícil"

«Pedro Passos Coelho juntou-se hoje, sem aviso, à campanha em Vila Real, onde é presidente da Assembleia Municipal, para dar o seu apoio “ao PSD e à sua presidente” neste “momento difícil”.»

A que momento difícil se refere Passos Coelho? Ao puxar do tapete por parte de Cavaco Silva? Terá também PPC a noção de que a campanha do PSD se esvaziou ontem? De qualquer forma tal expressão afigura-se como uma alfinetada à líder do partido, que pautou toda a sua campanha na suposta "asfixia democrática".
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 12:22

Segunda-feira, 21.09.09

Not enough

«Fernando Lima, responsável pela assessoria para a Comunicação social da Presidência da República, foi esta segunda-feira afastado do cargo por Cavaco Silva, depois de na passada sexta-feira o jornal 'Diário de Notícias' (DN) o ter denunciado como fonte do diário 'Público' no 'Caso das Escutas'.»

Mas este caso não pode acabar por aqui. Cavaco terá que vir a público clarificar a opção pelo afastamento de Lima sob pena de ficar com uma nódoa ainda mais persistente na sua presidência. Não explicará tudo, não pode, mas nós vamos entendendo pelas entrelinhas.

A única parte divertida é ver os spinners do PSD às aranhas.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 20:19

Sábado, 19.09.09

Disponível por Encomenda (XXVI)


ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:23

Sexta-feira, 18.09.09

Sem comentários

Cada um acredita no que quer. E há quem prefira fazer-se de tolo.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:43

Sexta-feira, 18.09.09

Delenda Cavaco

«Cheira a Collor de Melo em Belém. A notícia dos emails no Público não permite qualquer fuga, Cavaco tem de falar. E para dizer o quê? A sequência dos acontecimentos, transparente das intenções dos mandantes da conspiração, aponta numa única direcção: a sua demissão. Não sendo isso, pode também dizer que as escutas existem, e que ele tem provas. Ou que existem, e ele não tem provas. Nestes dois cenários, claro, a sua demissão continuaria a ser o desfecho mais lógico.» - Valupi, Aspirina B

Não me parece que Cavaco tenha muito mais saídas. Quis brincar às conspirações num lugar institucional onde se julgou inatingível. Não há suspensão da democracia possível.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 20:02

Pág. 1/2



Creative Commons License


Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930