Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Bico de Gás



Quinta-feira, 24.02.05

Aforismo 341 - O Eterno Retorno

O peso formidável - E se, durante o dia ou à noite, um demónio te seguisse à mais solitária de tuas solides e te dissesse: - Esta vida, tal qual a vives actualmente, é preciso que a revivas ainda uma vez e uma quantidade inumerável de vezes e nada haverá de novo, pelo contrário! - É preciso que cada dor e cada alegria, cada pensamento e cada suspiro, todo o infinitamente grande e infinitamente pequeno da tua vida te aconteça novamente, tudo na mesma sequência e mesma ordem - esta aranha e esta lua entre o arvoredo e também este instante e eu mesmo; a eterna ampulheta da existência será invertida sem detença e tu com ela, poeira das poeiras! Não te lançarás à terra rangendo os dentes e amaldiçoando o demónio que assim te tivesse falado? Ou então terás vivido um instante prodigioso em que lhe responderias: "És um deus e jamais ouvi coisa mais divina".
Se este pensamento tomasse força sobre ti, tal qual tu és, ele te transformaria talvez, mas talvez te destruísse também; a questão: "queres ainda e uma quantidade inumerável de vezes", esta questão, em tudo e por tudo, pesaria todas as tuas acções com peso formidando! Ou então quanto te seria necessário amar a vida e a ti mesmo para não desejar outra coisa além dessa suprema e eterna confirmação!

Em: A Gaia Ciência
De: Friedrich Nietzsche
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:55



Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Fevereiro 2005

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728