Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Bico de Gás



Sábado, 22.08.09

Blogues para quê?

«Politicamente falando, e em termos muito imediatos (eleitorais), o exercício dos blogues é largamente supérfluo: no essencial, prégam para os já convertidos. Nem o “Jamais” consegue fazer esquecer as dificuldades do PSD como alternativa, nem muito menos o “Simplex” consegue afirmar o PS como hegemónico à esquerda (”o grande partido da esquerda democrática portuguesa”) – que é aquilo que, eleitoralmente falando, realmente lixa o PS.»

Blogues eleitorais para quê e para quem? Grande parte dos bloggers, essa maralha, é uma turba muito independente e opinativa. E como diz o outro, os independentes são muito imprevisíveis. Há poucos blogues conformativos (ainda bem). Os que o são, são precisamente os blogues eleitorais. Quem escolhe dizer "amém", género deputado de segunda fila, não precisa de um blogue e se o tem este é absolutamente frívolo e inócuo.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:48

Sábado, 22.08.09

Direitos e deveres

Não sei até que ponto neste artigo d' O Inimputável (via jamais) se confunde "direito" com "facilitismo". Em teoria, o facilitismo, ou pondo nos termos do Inimputável, a sobrevalorização dos direitos sobre os deveres, criarão, sem dúvida, insatisfação, imaturidade e egoísmo.

Mas estes direitos, os naturais, necessários, se balanceados com os deveres, trarão uma sociedade mais equilibrada, socialmente consciente e igualitária. Um "direito" por si só não é nocivo, a focagem mimada e exclusiva nele é que levanta dúvidas.


O chamado "culto dos direitos", atribuído à extrema-esquerda explica-se facilmente: são estes os primeiros a serem truncados e reduzidos. Não é necessária uma redução de direitos, que é o que tem vindo a acontecer. Será preciso "apenas" a responsabilização de cada cidadão, salientando os deveres que advêm com cada direito.

Verdade é que ninguém, na sociedade de hoje, faz o discurso de valorização do dever sem resvalar para o atacar das "regalias".

ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 15:18

Sábado, 22.08.09

Cristão-novo

«O líder líbio Muammar Khadafi encontrou-se com Abdelbaset Ali al-Megrahi, libertado na quinta-feira depois de ter sido condenado a prisão perpétua por fazer explodir um avião da Pam AM sobre Lockerbie, na Escócia, em 1988. Megrahi foi recebido na Líbia como um herói e ontem Khadafi agradeceu ao primeiro-ministro britânico Gordon Brown e à rainha Isabel II por terem “encorajado” a libertação e prometeu uma maior cooperação com o Reino Unido.»

Prova-se que a conversão de Khadafi é irreal. Se a Líbia estivesse mesmo empenhada numa aproximação e cooperação aos estados ocidentais a recepção apoteótica a Megrahi seria impossível. Isto revela como o país ainda se identifica com os praticantes de actos terroristas. Ainda assim, jogando com um pau de dois bicos, Khadafi faz juras de agradecido ao Reino Unido. Acredita quem quer.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:20

Sábado, 22.08.09

A coerêcia de Portas

«Sem uma maioria à vista de PS ou PSD, surgem as dúvidas sobre quem poderá formar Governo com um dos dois maiores partidos portugueses. Paulo Portas assume, em entrevista ao jornal «Expresso», que poderá ser o fiel na balança.»

Como já se disse aqui, dorme com qualquer um, desde que isso lhe traga dividendos.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:16

Sábado, 22.08.09

Roda o palco

«Porém, a polémica criada pelas escolhas de Preto e Lopes da Costa para a lista por Lisboa (oitavo e décimo lugares, respectivamente) são menores perante “o facto de que um novo governo Sócrates significaria um incremento da instabilidade social e um arrastar do país para um cada vez maior endividamento”.

Notando que o país precisa de um “Bom Governo, mesmo que não seja o Perfeito”, Pacheco Pereira escreve que “não há milagres a aparecer pelas esquinas”. “Não estão cá os nossos amigos, não está cá a nossa tribo, estão cá alguns inimigos fidagais? Paciência. Está quem está. E está o país, Portugal, que precisa bem mais da nossa vontade do que das nossas distracções.”»


Distracção é este artigo de JPP, que consegue relacionar a inclusão do engessado António Preto e de Lopes da Costa com a necessidade de um novo governo. Lamento desiludi-lo, mas não será incluindo estas duas personagens nas listas sociais democratas que teremos um novo rumo. A não colocação dos candidatos arguidos também não faria José Sócrates ganhar novo mandato.

Não há relação possível, JPP apenas procura entreter-nos, desviando a atenção das más escolhas de Ferreira Leite, para a "causa maior" que é derrotar Sócrates. E como esquecer as tretas, as más escolhas e atitudes de MFL quando são elas que definirão as suas opções políticas em caso de vitória? O artigo é inútil, mas JPP é um mestre do spin.

ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 04:17

Sexta-feira, 21.08.09

Cuidado com a língua (corrigido)

«[...]que me levou a recear que o incêndio se propaga-se a mais partes do avião[...]» - no Expresso

Ó senhores, é "propagasse". Eu vejo a língua portuguesa a arder...
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:29

Sexta-feira, 21.08.09

Politiquice

«"Não quero saber se há escutas ou não há. A verdade é que as pessoas sentem que há", declarou Manuela Ferreira Leite na entrevista [à RTP]»

Fraca frase, deveria querer conhecer a realidade. O importante é conhecer a verdade, se há ou não há escutas. Esclarecimentos precisam-se. O que as pessoas sentem pode ser condicionado por aquilo que é alimentado nos média.

Claro que a MFL apenas interessa que as pessoas sintam que existam as tais escutas (e quanto mais envolver Sócrates melhor), procurando benefícios políticos até de um engano. Política de verdade..
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:57

Sexta-feira, 21.08.09

Mudar para que tudo fique na mesma

«Eleições no Afeganistão: Mais votos do que bombas. A primeira vitória da liberdade?»

Não! No período pré-eleitoral Hamid Karzai aprovou leis que limitam a liberdade das mulheres para conseguir o apoio dos mais radicais e fundamentalistas. A estes convém-lhes a vitória de Karzai e uma fachada de "liberdade" para que tudo continue na mesma.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:47

Sexta-feira, 21.08.09

Extorsão

«Cerca de duzentos funcionários do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) vão sofrer, já este mês, um corte de remunerações por não terem aceite a sua passagem da função pública para o regime de contrato individual de trabalho, acusou ontem o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado.»

Eliminação de despesas supérfluas do Estado. Cortes nas "regalias" dos trabalhadores, ou aceitam passar para o regime de contrato individual ou vêem o seu salário reduzido. Lose-lose situation.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 11:40

Sexta-feira, 21.08.09

Efeitos secundários

Quanto mais me aprofundo neste webaterro que são os blogues e os tweets mais noto que as discussões se cingem a argumentos ad hominem, ad persona, ad opinio. Não há debates ad propositio.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 02:02

Sexta-feira, 21.08.09

...ou muito pelo contrário

"Se eu [MFL] votasse em Santarém, com certeza que votava nele [Moita Flores], a única coisa que acho estranha é que, se discordasse tanto da orientação política de um partido, não aceitaria o apoio desse partido para a candidatura como independente" - Manuela Ferreira Leite sobre as afirmações de Moita Flores.

Pelo contrário, acho estranho que um partido tolere e suporte a candidatura de um independente que não se revê nas orientações políticas desse partido. Moita Flores precisa (precisará?) do PSD, mas claramente o PSD precisa muito mais de Moita Flores.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:49

Quinta-feira, 20.08.09

Paradoxo

«A redução drástica de impostos é a medida cirúrgica que urge para extirpar esse tumor galopante que é o desemprego. Uma eventual consequência seria a diminuição das receitas do Estado. Tanto melhor, pois obrigaria à adopção dessa medida de higiene económica que se impõe há décadas, que é a eliminação das despesas supérfluas do Estado - Paulo Morais, no JN (bolds meus)

A diminuição dos impostos levaria a uma redução de desemprego, tudo bem, se Paulo Morais escolhe acreditar em tal ligação. Não entendo como é que, após a diminuição das receitas e consequente higienização das despesas supérfluas (leia-se diminuição do número de funcionários públicos) a iniciativa privada iria absorver, somados ao desemprego actual, os ex-funcionários do Estado. Não estou a afirmar que a função do Estado é arranjar empregos e mantê-los, estou a duvidar que a iniciativa privada consiga colocação para um tamanho número de desempregados. Acreditar em tal milagre é ter visões a preto e branco.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 13:58

Quinta-feira, 20.08.09

Paródia

«Segundo o Público, Rui Paulo Figueiredo, por mais de uma vez, «ter-se-á» sentado, sem ser convidado, na mesa de outros elementos da comitiva, quebrando assim o protocolo e «terá» multiplicado as trocas de informação com os jornalistas do continente.
[...]
O Público acrescenta ainda que houve quem considerasse que Rui Paulo Figueiredo, militante socialista [...], se comportou como se quisesse escutar conversas para as quais não foi convidado.»


A justificação que o Público amanhou para uma notícia descabida e exagerada.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:55

Quinta-feira, 20.08.09

Mau outsourcing

«Sobre as falhas no atendimento da Linha de Saúde 24, a ministra acusou a empresa que gere esta linha de aconselhamento médico de não estar a cumprir o contrato.
[...]
Neste âmbito, Ana Jorge avisou que a empresa que gere a Linha Saúde 24 tem que ser responsabilizada pelo incumprimento do contrato.


A Ministra da Saúde sabe(?) o que tem a fazer, revogar o contrato com a dita empresa. Mostrar estupefacção pela falta de cumprimento da Linha 24, é mostrar-se ingénua, é não actuar.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:40

Quinta-feira, 20.08.09

Territorial Pissings

«O secretário-geral do PCP alertou, esta quarta-feira, para a «chantagem do PS» ao exigir «um cheque em branco dos eleitores em nome do perigo da direita», uma «mistificação» que prometeu combater na campanha para as eleições legislativas.»

Traduzindo: Jerónimo De Sousa acusa o PS de promover o "voto útil". Obviamente os socialistas terão que o jogo do assusta. Apesar de seduzirem com remendos sociais, apelando ao centro-esquerda, o PS teme, e bem, que isso não seja suficiente. Os votos parecem estar a tender para uma dispersão
(que só favorece MFL) pela esquerda, mais conservadora e radical. O PCP e o BE não querem intromissões nestes ganhos obtidos.
ASENSIO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:29



Pesquisar

Pesquisar no Blog  


calendário

Agosto 2009

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031